quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O passado não perdoa: Hugo Boss & Singer

Oi gente!

Como ando muito empenhada na escola com o foco em passar no vestibular tento prestar atenção ao máximo em todas as notícias possíveis colocadas em discussão na sala de aula.

Vocês devem estar se perguntando o que na escola tem relacionado à moda. Diretamente nada, mas indiretamente acredito estar acumulando informações para poder usar quando for confeccionar futuras coleções, redigir textos sobre contextos hisóricos que a moda viveu, entre outras coisas...

Diante disso, em uma aula sobre atualidades o assunto em questão era sobre a Comissão Nacional da Verdade, um pouco fora do assunto que vou abordar mas foi o que encaminhou a discussão.

O fato é que com o discurso do professor acabei descobrindo que a grife Hugo Boss tem um passado polêmico. Além da marca das tão cobiçadas máquinas de costura, a Singer.

Ambas estiveram envolvidas no processo de nazificação da Alemanha e cooperaram com o regime. Seja cooperação direta ou indireta foi o bastante para dar ibope. 

Hugo Boss considerado o "estilista preferido" de Hitler ,vide uma matéria que li na Uol Notícias, e trabalhava confeccionando roupas para os judeus nos campos de concentração.




Já a Singer, com o caso mais bafado, foi acusada de estar envolvida na produção das câmaras de gás também dos campos de concentração, responsáveis por uma das maiores atrocidades da história.




Fora as polêmicas desse post quem quiser assistir ao desfile da Hugo Boss em Shanghai neste ano ainda, clica aí no Play:



HUGO BOSS SHANGHAI 2013 from Visual Drugstore on Vimeo.




Curtiram a notícia? O que acham disso? Um pouquinho de cultura faz bem!

Bjs, Lú

2 comentários: