sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Conexão Paris: Junya Watanabe

A diferença entre ser anormal e não estar dentro do quadro comum é imensa. Usar a palavra anormal, sob o meu ponto de vista, é como usar a ignorância para resolver uma questão de lógica e, portanto, não é a mais adequado ao mundo da arte e, por sua vez, da moda.

A liberdade que a moda transpassa ao artista é para mim a parte mais fascinante do ramo. A ampla forma de interpretação da produção é apenas consequência dessa "carência" de limites. 

 Como tudo que esta fora do comum choca, surpreende e chama atenção, nada melhor do que analisar o desfile de Junya Watanabe que  realmente me chocou, surpreendeu e chamou atenção  O ramo da moda precisa mais disso! 

A começar pelos cabelos que não seguem nem um pouco o modelo de penteados tradicionais: eram nada mais nada menos do que penas e tranças espalhadas por um emaranhado de fios mas que no final proporcionaram um resultado muito original e bastante característico a coleção.

Franjas por todos os lados, couro, jeans detonados e coturno nos pés deram uma cara riponga mais moderna aos looks. O mais engraçado de tudo são as cores escolhidas para a primavera/verão: preto, branco e terra cota, nada muito chamativo!




Apesar de todos as vírgulas eu amei demais o desfile, e acho que elas foram necessárias para desvincular-se da moda tradicional e dar o "Grande Salto para Frente".

O que acharam? 

Bjs, Lú


Nenhum comentário:

Postar um comentário