terça-feira, 1 de outubro de 2013

Quero ler: Maktub, Paulo Coelho


"Maktub, particípio passado do verbo Kitab. É a expressão característica do fatalismo muçulmano. Maktub significa: "estava escrito"; ou melhor, "tinha que acontecer". Essa expressiva palavra dita nos momentos de dor ou angustia, não é um brado de revolta contra o destino, mas sim, a reafirmação do espírito plenamente resignado diante dos desígnios da vida" - Oriente

Oi gente!

Pelas próprias palavras dos mestres da banda Oriente vocês já ficaram sabendo direitinho o significado da palavra Maktub. Além de fazer parte da música "Vida Longa Mundo Pequeno", a expressão também é o nome de um livro de Paulo Coelho.

De acordo com quem já leu, o livro é recheado de pequenos contos que nos fazem refletir bastante sobre cada pequeno acontecimento em nossas vidas. Peguei alguns trechos de um blog para vocês também ficarem com vontade de ler:

     "Se você tiver de chorar, chore como as crianças. Você foi criança um dia, e uma das primeiras coisas que aprendeu em sua vida foi chorar; porque faz parte da sua vida. Jamais esqueça que você é livre, e que demonstrar emoções não é uma vergonha.
     Grite, soluce alto, faça barulho se tiver vontade - porque assim choram as crianças, e elas sabem a maneira rápida de sossegar seus corações.
     Você já reparou como as crianças param de chorar? Alguma cosia as distrai, algo chama a atenção delas para uma nova aventura.
     As crianças param de chorar muito rápido.
     Assim será também com você - mas apenas se chorar como chora uma criança."

 "Quando decidimos agir, é natural que surjam conflitos inesperados.
     É natural que surjam feridas no decorrer destes conflitos.
     As feridas passam: permanecem as cicatrizes, e isto é uma benção. Estas cicatrizes ficam conosco o resto da vida, e vão nos ajudar muito. Se em algum momento - por comodismo ou qualquer outra razão - a vontade de voltar ao passado for grande, basta olhar para elas.
     As cicatrizes vão nos mostrar a marca das algemas, vão nos lembrar os horrores da prisão - e continuaremos caminhando para frente."

     "Todos nós precisamos de amor. O amor faz parte da natureza humana - tanto quanto comer, beber e dormir. Muitas vezes sentamos diante de um belo pôr do Sol, completamente sós, e pensamos: 'nada disto tem importância, porque não posso compartilhar toda esta beleza com alguém.'
     Nestes momentos, vale a pena perguntar: 'quantas vezes nos pediram amor, e nós simplesmente viramos o rosto para o outro lado? Quantas vezes tivemos medo de nos aproximar de alguém, e dizer, com todas as letras, que estávamos apaixonados?'
     Cuidado com a solidão. Ela vicia tanto quanto as drogas mais perigosas.
     Se o pôr do Sol parece não ter mais sentido para você, seja humilde, e parta em busca do amor. Saiba que, assim como outros bens espirituais, quanto mais estiver disposto a dar, mais você receberá em troca."

"O tédio não está no mundo, mas na maneira como vemos o mundo."

   "Se você está insatisfeito com alguma coisa - mesmo que seja uma coisa boa, que gostaria de realizar e não está conseguindo - pare agora.
     Se as coisas não andam, só existem duas explicações: ou sua perseverança está sendo testada, ou você precisa mudar de rumo.
     Para descobrir qual das opções é correta - já que são atitudes opostas -, use o silêncio e a oração. Aos poucos as coisas vão ficando misteriosamente claras, até que você tem forças suficientes para escolher.
     Uma vez tomada a decisão, esqueça por completo a outra possibilidade. E siga adiante, porque Deus é o Deus dos Valentes.
     Disse Domingos Sabino: "- Tudo sempre acaba bem no final. Se as coisas não estão bem, é porque você ainda não chegou ao final."




E aí, gostaram?

Bjs, Lú







2 comentários:

  1. Amei!! Vou comprar!!!

    ResponderExcluir
  2. O livro é bom mesmo, cada conto uma reflexão, eu li o da biblioteca, mas vale a pena comprar e sempre ler um conto, amei vários!
    Boa leitura!
    Beijos
    Rapha Segovia

    ResponderExcluir